O que os principais clubes estão fazendo para prevenção ao COVID-19

Na segunda-feira (16/05), a CBF determinou a suspensão de todas as competições de âmbito nacional em razão do surto do novo Coronavírus. Com isso os Campeonatos Brasileiros Femininos A1 e A2 foram suspensos por tempo indeterminado.

Apesar de a Federação Paulista ainda não ter se pronunciado sobre, é possível que o Campeonato Paulista Feminino, que começaria já no dia 12 de abril, também seja adiado.

Por enquanto, todos os treinos dos clubes da primeira divisão do Brasileiro foram suspensos para prevenir a contaminação. A partir de agora, o grande desafio é como manter as atletas motivadas, saudáveis e fazer com que seu preparo físico não sofra com a ausência de treinos no clube.

Saiba como seis dos principais times do Campeonato Brasileiro A1 estão fazendo para lidar com a paralisação das competições por causa da pandemia do COVID-19:

 

  • Corinthians:

 

O Timão suspendeu as atividades da equipe feminina um dia após a suspensão da CBF, mas desde o dia 13 de março, as atividades já estavam adaptadas devido ao novo coronavírus. 

Todas as jogadoras foram liberadas para regressar às suas cidades, mas continuam com monitoramento de saúde remoto com a médica do clube, Dra. Taline Costa. Para manter o condicionamento físico, o Corinthians emprestou alguns equipamentos do próprio clube para que as atletas pudessem treinar de casa.

  • Ferroviária:

A Ferroviária também suspendeu todas as suas atividades no dia 17. Desde então, há um monitoramento diário da saúde das jogadoras com base em relatórios fornecidos pelas próprias atletas. 

Para manter o condicionamento, muitas jogadoras estão optando por clínicas e centros de treinamento particulares. Já é um costume dos atletas complementar os treinos nesses lugares, e agora eles parecem mais necessários que nunca. Uma das principais clínicas com foco em performance esportiva de Araraquara, hoje atende oito atletas da equipe feminina da Ferroviária. Assim como nos explicou o educador físico responsável, Marcius Ferrer, o foco principal é na manutenção da força: “Nós trabalhamos na prevenção do destreinamento. Agora tomando mais cuidado com a intensidade dos treinamentos e em grupos menores, sempre que possível ao ar livre”. 

Até o fechamento desta matéria, Araraquara não tinha nenhum caso confirmado de COVID-19, mas toda a cidade trabalha na prevenção.

  • Flamengo/Marinha:

No Flamengo, as jogadoras também foram liberadas dos treinos e atividades do clube até que a situação normalize. As atletas do Flamengo, além de atuarem pelo rubro-negro, são oficiais da Marinha e também foram dispensadas do serviço militar, por enquanto. Algumas continuaram no alojamento, mas outras já voltaram para suas casas. Todas treinam por conta própria com monitoramento remoto.

  • Kindermann:

Como nos outros clubes, o Kindermann suspendeu os treinamentos no dia 17. O clube garantiu que todas as atletas permanecem com vínculo ao clube e os salários continuarão sendo pagos normalmente. 

A maioria das jogadoras mora no Caçador, alojamento do clube, mas o diretor da equipe, Jonas Estevão, explicou que as jogadoras que desejarem podem voltar para suas famílias: “A intenção seria que elas permanecessem no alojamento em Caçador. pois sabemos que Caçador ainda não tem casos confirmados de Coronavírus, e se elas se expuserem em rodoviárias ou aeroportos podem acabar se contaminando. No entanto, sabemos o quão angustiante é estar longe da família neste período, e como não sabemos a dimensão e a duração desta pandemia, resolvemos por liberar as atletas que quiserem retornar aos seus lares. Nenhuma delas será prejudicada e as orientamos para que tomem os devidos cuidados de prevenção”.

O treinador Jorge Barcellos, juntamente com os preparadores físicos e o departamento médico também criaram uma rotina de treinamentos para as jogadoras de exercitarem em casa.

  • Santos:

Na última terça-feira (17) o Santos anunciou que suspenderia seus treinamentos por 20 dias. Após esse período a diretoria irá reavaliar a situação para então retomar os treinos ou continuar em quarentena. 

Por hora, a comissão técnica e o departamento médico passaram uma cartilha de prevenção ao COVID-19 e de exercícios para serem realizados em casa por todas as jogadoras.

  • São Paulo:

Assim como os demais clubes, o tricolor paulista suspendeu todos os treinamentos no CT e as jogadoras estão tendo monitoramento médico remoto. Também foi passado um programa de treinamento diário para que elas não percam condicionamento. 

A atacante Glaucia, camisa 9 do São Paulo, nos contou um pouco sobre como está sendo a sua rotina durante a quarentena: “Eu faço um treino de força pela manhã, saio um pouco na rua e faço sprint (aeróbicos). Na parte da tarde eu fico mais em casa, assistindo TV e arrumando a casa para ocupar a mente e só, infelizmente”. 

A CBF ainda não estabeleceu um prazo para o retorno do Campeonato, portanto, a expectativa é que os clubes também não voltem às atividades normais tão cedo. Neste momento, o mais importante é manter o cuidado com a saúde física e mental de todas as atletas.


*Esta reportagem foi por Cecília Quevedo e revisada por Luana Coutinho. As reproduções deste conteúdo devem indicar que a produção é da Agência Maria Boleira e mencionar os nomes da autora e revisora. 

Compartilhe:

Compartilhar em facebook
Facebook
Compartilhar em twitter
Twitter
Compartilhar em whatsapp
WhatsApp
Deixe uma resposta

Veja também

Posts Relacionados

Cheias de bandeiras

A história do futebol tem uma grande reviravolta desde a sua entrada nas casas brasileiras pelos rádios. A sensação de…