Futebol Feminino: na Europa, atletas brasileiras adaptam rotinas de treinos

Em meio a paralisação das competições, por conta do  coronavírus, atletas de futebol feminino atuantes na Europa criam rotina diferenciada para manter a preparação física em dia. 

Na Espanha, a atacante do Madrid CFValéria Cantuario, vem treinando na academia de seu condomínio. A piauiense, que em 2019 passou pelo São Paulo, destaca que após as restrições impostas pela Federação Espanhola de Futebol, da LaLiga e do sindicato dos jogadores espanhóis (AFE), a mudança de rotina foi nítida no país.

Já a meio-campo da Seleção Brasileira de Futebol Feminino e do PSG da França, Luana Bertolucci, falou sobre a sua nova rotina de treinos:

“Eu treino sozinha na sala de casa mesmo. Quando tenho de fazer corrida, eu faço fora, porque aqui ainda pode sair. Mas as autoridades colocaram algumas delimitações. É preciso um atestado para comprovar que você está fazendo atividade física e dizer onde você mora, porque as pessoas tem que estar perto de suas casas”.

Há apenas dois meses na equipe europeia, a brasileira também destaca não ter sentido diferença entre o futebol francês e o da seleção:

“A liga da França tem realmente uma intensidade bem alta. É um jogo rápido, de muita transição, e físico também. Eu não digo que sinto a diferença quando vou treinar com a seleção porque tem meninas de altíssimo nível lá, mas acredito que tenha evoluído bastante fisicamente desde que cheguei na França”. 

Como se vê, a situação gerada pela Covid-19 implantou novas medidas de proteção e, até que a situação se normalize, é importante manter os cuidados e os treinos em casa. No Brasil, o Campeonato Nacional A1 também teve as atividades interrompidas e jogos adiados. Veja a notícia na íntegra.

*Esta reportagem é foi produzida pela estudante de jornalimo Samira Silveira e revisada por Isla Ramos. As reproduções deste conteúdo devem indicar que a produção é da Agência Maria Boleira com os nomes da autora e revisora.


*Esta reportagem foi por Samira Silveira e revisada por Isla Ramos. As reproduções deste conteúdo devem indicar que a produção é da Agência Maria Boleira e mencionar os nomes da autora e revisora. 

Compartilhe:

Compartilhar em facebook
Facebook
Compartilhar em twitter
Twitter
Compartilhar em whatsapp
WhatsApp
Deixe uma resposta

Veja também

Posts Relacionados

Cheias de bandeiras

A história do futebol tem uma grande reviravolta desde a sua entrada nas casas brasileiras pelos rádios. A sensação de…