Coronavírus: clubes e atletas criam campanhas de prevenção

O apelo nas redes sociais mostra, mais uma vez, que o esporte está unido em prol da prevenção ao novo coronavírus (Covid-19). No Brasil, atletas do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino – A1 estão de “home office”, com a realização os treinos em suas próprias casas. Na internet não só elas, como os próprios clubes, fazem o apelo à população.

O Avaí Kindermann convidou as jogadoras do time para participar de um vídeo sobre o “adversário invisível”. A campanha batizada de “#Ficaemcasa” destaca a importância de evitar a disseminação do vírus tanto para os grupos de risco, quanto para as pessoas que atuam nos serviços essenciais.

Na página do Instagram da Ferroviária, a técnica Tatiele Silveira gravou um vídeo de casa, no qual relembra cuidados essenciais em um período de pandemia. Ela conta sobre o monitoramento das jogadoras e da utilização do tempo livre para estudo dos adversários que ainda não enfrentaram o time de Araraquara e atual líder do campeonato.

A meia-campista da seleção brasileira Andressinha, que atua no Corinthians, compartilhou com seus seguidores o treino que é especialidade da jogadora: bater falta.

Coronavírus: apelo mundial

A jogadora norueguesa, Ingrid Syrstad Engen, meio-campista do Verein für Leibesübungen Wolfsburg, encabeçou uma campanha nas redes sociais com a hashtag #SocialResponsibility (tradução para #ResponsabilidadeSocial). Em nota divulgada no Instagram, a atleta pede que o clube doe 10% do salário anual da jogadora para pessoas infectadas pelo Covid-19.

Com tudo o que aconteceu com o Covid-19, pedi ao meu clube que renunciasse 10% do meu salário para ajudar as pessoas que realmente precisam de apoio financeiro nos dias de hoje. A ideia foi desenvolvida junto com outras jogadoras e esperamos que seja usada para ajudar alguém que foi afetado pela pandemia. Espero que mais jogadores se envolvam e tomem medidas para retribuir às comunidades que nos apoiam e nos animam. Fique seguro! #ResponsabilidadeSocial”, fala na publicação.

De acordo com o jornal espanhol Marca, a atleta da seleção norueguesa Caroline Graham Hansen aderiu a campanha de Ingrid. No Instagram, Caroline disse que, se todos optarem por realizar pequenas ações, uma grande mudança pode acontecer. O clube escocês Celtic Football Club doou £175,000 (R$1.111.717,00) para a comunidade local e outros pontos do Reino Unido com o objetivo de colocar “comida na mesa” dos afetados pela pandemia através do fundo “Football for Good” (tradução para Futebol para o Bem).


*Esta reportagem foi por Clara Maria Lino e revisada por Danielle Mugarte. As reproduções deste conteúdo devem indicar que a produção é da Agência Maria Boleira e mencionar os nomes da autora e revisora. 

Compartilhe:

Compartilhar em facebook
Facebook
Compartilhar em twitter
Twitter
Compartilhar em whatsapp
WhatsApp
Deixe uma resposta

Veja também

Posts Relacionados

Cheias de bandeiras

A história do futebol tem uma grande reviravolta desde a sua entrada nas casas brasileiras pelos rádios. A sensação de…