Conheça Luiza Travassos: a jogadora que move um projeto solidário

O ano é 2017. Luiza Travassos é, então, eleita pelo grupo britânico de comunicação BBC como uma das 100 mulheres mais influenciadoras do mundo. Com apenas 13 anos ela é exemplo para milhares de garotas que, como ela, lutam para jogar futebol em meio a tanto machismo.

Luiza é a idealizadora do projeto Uma Bola Causa que usa o esporte como um meio transformador da vida de vários meninos e meninas. Além de usar a ascensão no dia a dia, a pequena atleta se juntou à rede de pessoas que estão usando a influência para o combate ao COVID-19. Luiza idealizou uma campanha para angariar fundos para o Complexo do Alemão, conjunto de favelas localizado na capital do Rio de Janeiro.

Qual a história de Luiza Travassos?

O esporte surgiu na vida dela aos 6 anos, durante a Copa de 2010, que despertou a paixão dela pelo futebol. Não demorou muito para que ela também quisesse calçar as chuteiras. Sua primeira alternativa foi o time da escola. Mas para sua surpresa, ela foi barrada: eles não aceitavam meninas.

No início minha mãe era contra eu jogar futebol, mas depois disso ela já ficou assim: ‘olha, se a minha filha quer jogar, ela vai jogar’. Um tempo depois já encontramos uma outra escolinha que me aceitou”, conta.

Em 2015, Luiza conheceu a PSG Academy, que chegava no Brasil com uma proposta diferente. 

Fiz a peneira e foi lá que eu percebi realmente que eu queria seguir com futebol. Eu era uma das únicas meninas lá. Fui para a França disputar um campeonato com as outras escolinhas do Paris [de Saint German] com um time de meninos, em 2017. Em 2019 fomos para a França novamente com o time feminino”.

Em 2018, enquanto ainda jogava pela escolinha do PSG, participou de uma peneira do Fluminense e dois meses depois estava vestindo a camisa do clube das Laranjeiras.

Meu time do coração é o Fluminense e vestir a camisa sempre foi um sonho meu. Dois meses depois de passar pela peneira a gente já tinha um campeonato. […] Joguei o campeonato Brasileiro, Carioca e o torneio da CONMEBOL da categoria pelo clube”.

Com o bom desempenho, logo veio a primeira convocação para a Seleção Brasileira.

No final de 2019 fui convocada pela primeira vez, para jogar pela Sub-17. Fui para sessão de treinos e neste ano de 2020 eu disputei um triangular em Portugal contra as seleções portuguesa e austríaca”, fala.

Acho que é o sonho de todo mundo vestir a camisa da seleção e saber que você trabalhou tanto nos treinos, todos os desgastes, perder aula, abrir mão de coisas fizeram você chegar ali. Então o meu primeiro jogo com a camisa da seleção foi muito gratificante”, complementa a atleta.

Luiza Travassos: Futblog – A garota que joga futebol

O reconhecimento da atleta não se deve somente ao trabalho dentro das quatro linhas. O reconhecimento feito pela BBC veio com o “Futblog”, uma página no Facebook em que Luiza falava sobre futebol. Ela criou o perfil na rede incentivada pelos familiares que a viam jogar.

Quando eu não estava jogando eu estava assistindo ou estava jogando altinha. Então minha irmã virou para mim e falou ‘Ah Luiza, porque você não faz alguma coisa relacionado a isso para gastar seu tempo de outra forma?’. Foi quando eu criei a página. Na verdade, eu só escrevia sobre os jogos do fim de semana assim, como qualquer outro meio. Mas chegou uma hora em que eu resolvi mostrar que era uma menina quem estava escrevendo tudo aquilo, então veio o nome”, conta à reportagem.

Quando as leitoras da página descobriram quem estava por trás dos posts, o lugar virou espaço para troca de experiências. Ela recebia mensagens do tipo “Caramba, que legal que você joga, eu também jogo! Mas meu pai não deixa eu jogar”. Algumas pediam conselhos. “Como é que você faz para lidar? Os meninos aqui da minha rua não deixam eu jogar”.

A partir dali eu percebi o impacto que eu causava”, diz.

Luiza Travassos: uma Bola Causa

Luiza Travassos não quis parar por aí. Em 2017, ano que recebeu a homenagem, participou do reality show Click Esperança, da emissora Globo, no qual jovens engajados com causas sociais contavam um pouco de suas histórias. Durante o programa, ela conheceu o jovem Luciano, morador do Complexo do Alemão que move um projeto de caridade na comunidade.

Inspirada pelo rapaz ela criou o “Uma Bola Causa”. A ação foi feita em parceria com Luciano. A dupla arrecadou bolas de futebol para crianças e jovens das favelas. “Eu também postei no Instagram para ver quem queria doar dinheiro ou doar bola. No ano seguinte pensei ‘acho que Uma Bola Causa pode ser muito mais que uma doação’”, explica.

Depois disso o projeto não parou de crescer. A atleta do Fluminense se juntou a algumas companheiras do futebol e realizou workshops e palestras para meninas e meninos de vários lugares do Rio.

A ideia principal é apresentar o esporte como meio de transformação para as pessoas que vivem em comunidades, principalmente para crianças que podem enxergar o esporte como uma forma de escapar de toda essa realidade. Um dos meus principais anseios é que o ‘Uma Bola Causa’ mostre para as pessoas que o esporte não é só você ser um atleta. O esporte pode transformar a vida de muita gente mesmo você sendo um fisioterapeuta, um jornalista esportivo, sabe?”, fala. Hoje o principal apelo ‘Uma Bola Causa’ é de recursos para a compra de materiais de higiene para o Complexo do Alemão. Para doar, basta entrar em contato com a Luiza pelo instagram.


*Esta reportagem foi por Cecília Quevedo e revisada por Danielle Mugarte. As reproduções deste conteúdo devem indicar que a produção é da Agência Maria Boleira e mencionar os nomes da autora e revisora. 

Compartilhe:

Compartilhar em facebook
Facebook
Compartilhar em twitter
Twitter
Compartilhar em whatsapp
WhatsApp
Deixe uma resposta

Veja também

Posts Relacionados

Cheias de bandeiras

A história do futebol tem uma grande reviravolta desde a sua entrada nas casas brasileiras pelos rádios. A sensação de…