Clubes antecipam as férias durante quarentena do COVID-19

Uma solução encontrada pelos clubes da primeira e segunda divisões do Campeonato Brasileiro para manter as recomendações de isolamento do Ministério da Saúde foi antecipar as férias de atletas, membros da comissão técnica e outros funcionários. 

A Comissão Nacional de Clubes (CNC), que representa 30 times brasileiros como Corinthians, Fluminense e Atlético Mineiro, se reuniram na última quinta-feira (26/3) com a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) e alguns outros órgãos de representação estadual para discutir a paralisação. 

Na reunião, ficou definido que os clubes antecipariam 20 dias de férias dos atletas, a partir do dia 1º de abril. Os dez dias restantes seriam cumpridos ao fim da temporada de 2020, como já estava previsto no calendário antes do surto da COVID-19.

O Santos, que é um dos clubes que faz parte da CNC, divulgou no domingo (29/3) que além dos atletas, a comissão técnica e outros empregados também entrariam de férias no dia 1º. Além disso, o alvinegro esclareceu que a remuneração de férias de todos os funcionários será no 5º dia útil de maio, podendo haver negociação para parcelamento.

A questão salarial foi, inclusive, um dos principais embates da reunião entre CNC e Fenap. A Comissão propôs reduzir em 25% o salário dos jogadores durante o período de paralisação. Contudo, o órgão que representa os atletas não aceitou a proposta, alegando que ela fere a CLT. O que ficou acertado então é que cada clube negociará individualmente com os esportistas e funcionários para redução ou não dos salários.

Mesmo com o acordo entre as duas entidades sobre as férias, nem todos os clubes adotaram esta medida. A Ferroviária, por exemplo, vai manter o calendário inicial de férias. Hoje, as atletas estão em isolamento cumprindo as medidas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde, mas continuam treinando em casa.


*Esta reportagem foi por Cecília Quevedo e revisada por Thais Nozue. As reproduções deste conteúdo devem indicar que a produção é da Agência Maria Boleira e mencionar os nomes da autora e revisora. 

Compartilhe:

Compartilhar em facebook
Facebook
Compartilhar em twitter
Twitter
Compartilhar em whatsapp
WhatsApp
Deixe uma resposta

Veja também

Posts Relacionados

Cheias de bandeiras

A história do futebol tem uma grande reviravolta desde a sua entrada nas casas brasileiras pelos rádios. A sensação de…